Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

28 Outubro de 2020 | 21h18 - Actualizado em 29 Outubro de 2020 | 08h45

PR determina nacionalização da Miramar Empreendimentos

Luanda - O Presidente da República, João Lourenço, determinou, nesta quarta-feira, a nacionalização de 60 por cento das participações sociais da sociedade comercial Miramar Empreendimentos SA e transferiu a titularidade das acções para a Sonangol E.P.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Presidente da República de Angola, João Lourenço

Foto: Cedida pela fonte

Um Despacho Presidencial enviado hoje à ANGOP refere que todos os direitos inerentes ao uso, fruição e disposição das referidas participações passam para a empresa petrolífera nacional.

A Miramar Empreendimentos SA detém o património de uma unidade hoteleira financiada com recursos integralmente públicos, através da Sonangol, indica o documento.

Sublinha que são accionistas da Miramar Empreendimentos SA  a Sonangol  E.P., com 40%, a Suninvet  Investimentos, Participações e Empreendimentos SA, com 43 por cento, e a Sommis SGPS Limitada, com 17 por cento, apesar das duas últimas empresas não terem contribuído financeiramente para a edificação da referida unidade hoteleira.

Assim sendo, são nacionalizados 60 por cento das participações sociais da sociedade comercial Miramar Empreendimento, sendo 43 por cento das acções pertencentes à Sociedade Sunivest Investimentos, Participações e Empreendimentos SA e 17 por cento Sommis SGPS Limitada, de acordo com o documento.

O Despacho Presidencial realça que a unidade hoteleira em causa tem elevado potencial económico e a sua transferência para o domínio público se reveste de interesse nacional, em virtude de ter sido construída com fundos públicos.

De acordo com o Despacho Presidencial, a nacionalização ocorreu ao abrigo da Constituição da República de Angola.

Conlui que as dúvidas e omissões suscitadas da interpretação e aplicação do Despacho serão resolvidas pelo Presidente da República.

Leia também
  • 27/10/2020 21:48:44

    Igreja reconhece prejuízos da Covid-19

    Luanda - O arcebispo de Luanda, Dom Filomeno Vieira Dias, reconheceu, nesta terça-feira, que a Covid-19 veio dificultar a implementação dos projectos de desenvolvimento gizados pelo Executivo angolano.

  • 27/10/2020 21:36:19

    Diplomatas condenam sanções contra o Zimbabwe

    Havana - As sanções internacionais a que está submetida a República do Zimbabwe mereceram, nesta terça-feira, a condenação de diplomatas de países membros da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) destacados, em Havana, refere uma nota da Embaixada de Angola em Cuba.

  • 27/10/2020 20:38:19

    Comissão Económica aprecia Proposta de Lei do OGE 2021

    Luanda - A Comissão Económica do Conselho de Ministros apreciou, esta terça-feira, em Luanda, a Proposta de Lei do Orçamento Geral do Estado (OGE), para o exercício económico de 2021.